junho 30, 2005

Make Poverty History! Now!

junho 28, 2005

Ó Sr. Antunes! Onde raio está a minha t-shirt?

junho 27, 2005

Prontos...

Os meus pulmões já se enchem de ar.
Acabei mais um trimestre infernal. Penso que o pior desde que estou há 3 anos na empresa. Pela primeira vez não atingi a quota...
98% e dizem vocês que é muito bom...
Mas a minha meta nunca são os 100%, mas sim os cento e tal.
Por isso falhei.

Ao meu lado a televisão grita. Está sintonizada no posto em que dá uma série a que acho piada - as Desperate Housewifes. Gosto especialmente daquela que se droga e às crianças...é a que parece mais a real life.

Como não começou, há um bando de pessoas que não para de gritar e no reflexo, vejo que fogem no meio de vegetação. Algo que não me importava. E aparecer noutro ponto do mundo. Como as teorias do tempo e os buracos negros...

Estranho como o meu cérebro flui da quota aos buracos negros...

Adiante!

Vou montar (salvo seja, suas mentes perversas) uma produtora de cinema, enquanto começo o módulo II do Certificado de Argumento da UCLA, enquanto tento fazer a quota do 3º trimestre, enquanto procuro uma casinha de aldeia baratucha para recuperar.

Descobri que tenho de ir a Paris em Setembro. E hoje vi 3 minutos de um documentário em que há aviões que caem por causa de um tipo de ventos estranho...e pensei que ia ser o meu.
Preciso de um hipnotizador, de qualquer coisas dessas.

Ou preciso de dar uma volta à minha vida?
As células do corpo renovam-se de 7 em 7 anos. Terá chegado? Começou quando nasci?
Tou nos 31, não devo estar à beira de renovar nada. Será que posso?


junho 19, 2005

E se?

Soubesses que ias morrer daqui a um ano.
O que mudavas?
O que fazias de diferente?

(Não é o meu caso...que eu saiba...mas questiono-me...às vezes)

junho 15, 2005



Um fotógrafo da Magnum, claro - Alex Webb - Moçambique - 2002

Para ti mano, o ar aqui é mais puro. As pessoas se calhar também. A vida é que é muito pesada.

junho 13, 2005

My God...it's full of stars!

Não sei porquê, hoje, esta frase do "2001-Odisseia no Espaço" persegue-me.

Ontem passei o dia a cantar a melhor música (na minha humilde opinião) da Ricky Lee Jones, que aquece o filme "Subway" de um Jean Luc Besson de outras épocas - "A Lucky Guy"

Melhor que isto, é passar o dia a cantarolar o Night Train como se fossemos o Tom Waits. A fumar um charro, deitados de barriga para cima a contar as estrelas, depois de ter tomado um chá de menta na companhia dos nómadas beduínos.

junho 12, 2005

Back e alive!

Com a ajuda de um Kainever - comprimido para dormir - lá fiz a viagem mais sossegada do que com o Xanax.

O A320 portou-se bem, assim como o piloto :P
O tempo esteve a meu favor = 0 de torbulência para cá e para lá.

A vantagem de 1 unidade de Kainever sobre 1 de Xanax, é que dá uma moca daquelas. Ri-me desde que entrei no avião até ele levantar - que geralmente é a fase do semi-ataque-de-pânico...

Londres está sempre bem e a recomendar-se.
As costas escarpadas do sul estava um espanto.
As papoilas estão prontas para a colheita.
Infelizmente voltei.

Próxima - Havana - 9 horas de viagem - 2 a 3 Kainever.
De seguida - Tokyo - 23 horas de viagem - 5 a 6 Kainever e uma garrafa de whisky :P

junho 03, 2005

Away

Às 18hrs parto num A321 com destino a Londres.
O que quer dizer que às 16.30 espera-me um Xanax.
E quer também dizer que não comi nada hoje.
E mal dormi.

I'm scared shit of flying!!!
Mesmo quando há +27% de se morrer por problemas emocionais e +2,6% por tabaco.
Há coisas que o cérebro não consegue controlar.

Acho que vou à hipnose...

junho 02, 2005

Entrevista de ontem

A entrevista da Ana Sousa Dias ao Paul Auster foi o máximo!
Na minha opinião ficaram muitas questões para colocar...mas já foram muitas as respondidas!

junho 01, 2005

Isto sim é uma critica, nada de pancadinhas nas costas

(Critica ao meu argumento do professor da UCLA. Assim aprende-se o que se fez mal)

The story is becoming fuller, but there is still work to be done, especially in your scene development. Many of your scenes are very underdeveloped, and in a treatment, they should be rather complete. One of the reasons they're not fully developed is you haven't worked with the basics - a scene is constructed the same way a complete script is. Here's a summary of what's expected in a scene:

Just in case I haven’t mentioned it sufficiently, let me underline it again: The element most new (and many experienced) screenwriters leave out of their scenes is conflict. Without conflict, there is no drama. Without drama (even in a comedy), there is no story. Without conflict, there is no movement. No change. Conflict is the key element of the scene.

The central characteristic, the one element that every scene needs, is conflict.

Just as there are barriers (conflict) for the protagonist to overcome over the length of the film, so, too, there are smaller conflicts in each scene. In the beginning of a scene, somebody wants something. Somebody else either tries to prevent him from getting that, or wants something in opposition. The scene, then, is about the struggle. Learning what each one (or more) wants is the beginning of the scene. The struggle to get it is the middle. One or the other wins the struggle. That’s the end of the scene. Somebody’s got to win, somebody’s got to lose. Even in a comedy. Especially in a comedy.

Every major player in a scene has an objective – he/she wants something. Usually, each character wants something different. Hence the conflict. We must also know what the emotion of that character is at the beginning of the scene, what his/her attitude is, what’s his long term goal. There’s a helluva difference between a scene that starts off with everyone pissed off at each other from the get go and one that starts with laughter. If you know your characters, you’ll know what their emotions are at the beginning of the scene – are they happy, sad, angry – and what will happen to them during the scene. Unless they have cause to change (they may or may not), they should maintain that emotion throughout the scene. Actors look at scenes this way (or the good ones do), and they look for hints the writer has given them.

We also need to know what the subject and purpose of the scene is. Yes, it’s to move the story forward, first and foremost. But it may also be to shed some light on a character, to reveal information, to provide an obstacle. Know what you want to get across with your scene.

Also, I'd like to see Michael working towards his goal in every scene. If you can make each scene interesting, make each one move the story, and each one develop Michael just a little more, you'll have a great story.